Comentários

Quanto tempo uma pessoa pode ficar sem dormir?

Quanto tempo uma pessoa pode ficar sem dormir?

Todos sabemos o quanto é importante dormir bem para a saúde humana. Quando dormimos, fazemos um merecido descanso no cérebro e no resto do corpo. É algo de importância vital e necessário para o bom funcionamento de um e de outro. Assim pois, o sono é essencial para a vida e é a base de inúmeras funções fisiológicas e psicológicas, como reparo de tecidos, crescimento, consolidação de memória e aprendizado. Embora nem todos os adultos precisem do mesmo número de horas de sono, os especialistas acreditam que dormir menos de 7 horas por noite continuamente pode ter consequências negativas para o corpo e o cérebro. Enfim, no final, todos dormimos de maneira diferente; alguns mais e outros menos, alguns acham difícil adormecer e depois acordampor outro lado, adormecem rapidamente, mas acordam muito em breve e não têm dificuldade em acordar cedo etc.

Certamente, passamos grande parte de nossas vidas dormindo. Mas sempre houve pessoas que tentaram passar dias sem fazer isso ou dormindo muito pouco. Infelizmente, sofreram conseqüências desagradáveis ​​até que finalmente acabaram dormindo. Você quer saber quanto tempo uma pessoa pode ficar sem dormir? Existem estudos que respondem a essa pergunta cientificamente.

Conteúdo

  • 1 O que acontece quando não dormimos o suficiente?
  • 2 Quanto tempo uma pessoa pode ficar sem dormir?
  • 3 Os limites da vigília e do sono em humanos

O que acontece quando não dormimos o suficiente?

Ao longo da história, vários estudos de privação do sono foram realizados e foi observado que, dependendo da intensidade e frequência, a falta de descanso pode causar um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Dor muscular
  • Visão turva
  • Daltonismo
  • Sonolência diurna
  • Problemas cardíacos
  • Enxaqueca aguda
  • Diminuição da atividade mental e concentração
  • Despersonalização e desrealização
  • Enfraquecimento do sistema imunológico, especialmente uma diminuição no número de leucócitos, como em situações estressantes
  • Tonturas
  • Olheiras
  • Desmaio
  • Confusão mental
  • Alucinações
  • Tremendo mãos e pernas
  • Fraqueza física
  • Aumento dos níveis de colesterol
  • Falta de desempenho
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Enxaqueca
  • Hiperatividade
  • Hipertensão
  • Diabetes
  • Impaciência
  • Irritabilidade
  • Sonho lúcido, uma vez retomado o sono
  • Lagoas ou falta de memória
  • Náusea
  • Nistagmo
  • Psicose
  • Palidez
  • Aumento perceptível no tempo de reação
  • Articulação vocal arrastada ou sem sentido
  • Perda ou ganho de peso (obesidade)
  • Bocejo severo
  • Sintomas semelhantes a: transtorno do déficit de atenção e hiperatividade e embriaguez

Cientistas suecos dizem que falta de sono causa dano cerebral, depois de encontrar grande concentração de moléculas do cérebro no sangue de voluntários que passaram uma noite inteira sem dormir. Seu estudo mostra que uma noite de privação do sono pode causar perda de tecido cerebral, o que é demonstrado por altas concentrações no sangue de duas moléculas cerebrais após a noite da insônia. Durante o estudo, 15 homens com peso médio sofreram uma noite de privação de sono e depois uma noite de oito horas de sono. Os pesquisadores descobriram que os níveis dessas moléculas no sangue eram mais altos pela manhã após a privação do sono, em comparação com a manhã após uma noite inteira de descanso.

Anteriormente, outros pesquisadores da Universidade de Surrey descobriram que falta de sono também pode afetar os genes, sendo as consequências de uma semana de não descansar o suficiente (menos de seis horas de sono a cada noite) causando alterações em mais de 700 genes, embora os pesquisadores tenham enfatizado que a função de cada gene ainda não está totalmente esclarecida.

Quanto tempo uma pessoa pode ficar sem dormir?

O professor de psiquiatria da Universidade da Califórnia, J. Christian Gillin, conduziu inúmeras investigações sobre transtornos do sono, cronobiologia e humor. Ele fez essa pergunta e descobriu que a resposta é: 264 horas, ou seja, 11 dias sem dormir. Aparentemente, em 1965, um estudante do ensino médio chamado Randy Gardner e 17 anos de idade teria estabelecido o recorde mundial de tempo sem dormir para um emprego em uma feira de ciências.

Há também dados sobre soldados que em conflitos de guerra, especialmente durante a Segunda Guerra Mundial, ficaram acordados por 4 a 5 dias no campo de batalha. Por outro lado, há quem diga que o registro não pertenceria a Randy Gardner, mas a um homem que permaneceu por 18 dias, 21 horas e 40 minutos em vigília, quase 19 dias sem dormir, embora não haja um registro claro de este feito. Diz-se que este homem acabou com fortes alucinações, ataques de paranóia e todos os tipos de problemas psicomotores.

Em outros estudos sobre sono e vigília, os participantes permaneceram acordados por 8 a 10 dias. Embora nenhum deles tenha sofrido sérios problemas médicos, fisiológicos, psicológicos ou psiquiátricos, todos apresentaram um déficit progressivo de concentração, motivação e até percepção, entre outras dificuldades nos processos mentais, ao mesmo tempo em que aumentava a privação do sono. Note-se que em todos esses casos, após alguns dias e algumas noites de recuperação do sono, eles se recuperaram normalmente.

Os limites da vigília e do sono em humanos

Todos os organismos precisam dormir, é o momento em que os sentidos e as funções motoras são suspensos, onde um estado de inconsciência é inserido e os músculos permanecem inativos e esse momento é necessário. Essa suspensão momentânea das atividades complexas que ocorrem dentro do corpo dá a ela o resto que impede o desgaste e o mau funcionamento do corpo; assim, sem dormir, o corpo acabaria sobrecarregado. Ignorar a importância que o descanso tem para o nosso cérebro pode ser um erro grave que prejudica nossas habilidades, nossa sobrevivência ou a de outras pessoas, se sairmos, por exemplo, para dirigir sem dormir.

Em outros seres vivos, como em ratos de laboratório, verificou-se que na segunda semana de vigília, eles perdem a vida. Problemas com o sono, como insônia ou insônia letal, obviamente, devem ser tratados quantas vezes o dano puder ser irreparável ou até fatal.

Assim, a reflexão não deixa dúvidas: O que devemos fazer todos os dias é descansar as horas necessárias para ter um bom desempenho e poder tomar as decisões certas. Que durmas bem!

Vídeo: O que acontece se você ficar SEM DORMIR?? (Julho 2020).